Mostrando entradas con la etiqueta Videos Brasil. Mostrar todas las entradas
Mostrando entradas con la etiqueta Videos Brasil. Mostrar todas las entradas

4/05/2020

HIGIENE ORAL : Cuidados com os Primeiros Dentes

Higiene Oral

Os primeiros dentes de um bebé normalmente começam a aparecer por volta dos seis meses de idade.

No entanto, deverá começar a preocupar-se com os dentes do seu bebé desde o início, uma vez que os dentes de leite também podem ter caries.

Inicialmente basta passar uma compressa embebida em água morna sobre a gengiva de manhã e à noite para limpar de forma suave a superfície dos dentes do seu bebé.



Uma boa maneira de incentivar os bons hábitos de higiene desde o início é fazê-los à frente do seu filho: ao mostrar-lhe como escova os seus dentes, a partir de uma certa idade, o seu filho irá querer imitá-la!

A partir dos 18 meses, dê ao seu filho a sua primeira escova de dentes e comece a utilizá-la com ele. A partir dos dois anos, pode começar a adicionar uma quantidade do tamanho de uma ervilha de pasta de dentes na escova do seu filho.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO

É claro que ele não irá aprender de imediato como utilizar a escova, provavelmente só vai querer tricá-la e comer a pasta dentífrica em vez de escovar os dentes.

Deixo-o brincar um pouco com a escova, e em seguida, ajude-o a concluir com cuidado a escovagem. Nesta fase final deve tentar fazer pequenos movimentos circulares com a escova, e lavar perto das gengivas.


Youtube / Leon Daghlian



ENTREVISTA: Cáries em bebês - Bebês podem ter Cáries?


A partir do momento que o dente erupciona na boca do bebê, ele já está sujeito a sofrer uma lesão de cárie.

As bactérias aderidas ao dente produzem um ácido que leva ao processo de desmineralização do esmalte dentário, causando manchas e cavidades.



Quando aparecem cáries em dentes decíduos, muitos pais acabam por não buscar um tratamento adequado com um pensamento errado de que talvez não haja necessidade, já que o dente será substituído por outro.

Se a lesão de cárie não é tratada, as bactérias presentes podem atingir o canal do dente de leite e contaminar o germe do dente permanente, que está logo abaixo, causando uma lesão infecciosa.

Veja também: Manchas escuras nos dentes das crianças

Dessa maneira, o dente permanente pode sofrer alterações estruturais e nascer já com alguma imperfeição, como má formação das estruturas, alteração de forma ou manchas.

Como devemos fazer a limpeza nos dentes de nossas crianças em todas as idades.

Entrevista concedida pela Dr. Carmem Silvia para o programa Vida Plena na Boa Vontade TV. Todos os direitos cedidos pela Boa Vontade TV à Dra. Carmem Silvia / Clínica Amai.


Youtube / Dr Teeth



4/04/2020

Tratamentos radicais da polpa. PULPECTOMIA


A cárie é um problema freqüente em dentes de-cíduos.

Entre os dentes com cárie profunda, cer-ca de 75% apresentam comprometimento pulpar e, consequentemente, necessitam de tratamento endodôntico.

Antes de escolher a técnica a ser utilizada no tratamento, é preciso levar em conta o estado em que se encontra a polpa dentária e aí sim optar por uma técnica conservadora ou radical.



Para os casos em que há mortificação pulpar, o tratamento mais indicado é a técnica radical, realizando-se a pulpectomia.

O objetivo principal da pulpectomia é manter a estrutura do dente, impedindo que eles sejam perdidos e que os outros dentes sofram deslocamento.

Veja também: Tratamento Restaurador Atraumático. Uma técnica que podemos confiar?

Esse tipo de tratamento é contra-indicado em dentes com reabsorção radicular interna ou externa avançada, infecção periapical que envolva a cripta do dente sucessor, abcessos volumosos ou dentes com grande perda de estrutura radicular.

A pulpectomia baseia-se na ação de medicamentos intracanais que façam a desinfecção destes. É preciso remover a maior parte possível do tecido contaminado para o tratamento agir sobre a menor quantidade possível desse tecido.


Youtube / Telessaúde RS - UFRGS



4/03/2020

Técnicas de manejo em ODONTOPEDIATRIA


Cirurgiões-dentistas que atendem crianças, além de serem habilitados no uso dos procedimentos técnicos, devem estar preparados para lidar com o seu comportamento.

Técnicas de controle de comportamento são a principal arma de trabalho do Odontopediatra.

São elas que o diferenciam do clínico geral, pois têm a capacidade de prover atendimento a crianças muito novas, portadoras de deficiência, amedrontadas, rebeldes ou com algum distúrbio comportamental que dificulte o seu tratamento.

Essa bactéria, como a da espécie Prevotella melaninogênica, deixa a parte interna dos dentes com coloração enegrecida.

As situações mais difíceis enfrentadas pelos odontopediatras são aquelas em que as crianças, principalmente as mais novas, não colaboram com a realização do tratamento, chorando, gritando, movimentando a cabeça e o corpo, e fazendo tentativas de sair da cadeira.

Esses comportamentos de não colaboração são, geralmente, atribuídos ao medo, a traumas, a condições fisiológicas ou a outros fatores inerentes ao indivíduo.

Veja também: SAÚDE BUCAL da gestante e do bebê


Youtube / Telessaúde RS - UFRGS



4/02/2020

Como tirar o medo da criança de ir ao dentista?

Odontopediatria

Os medos que se desenvolvem ou se apresentam a partir da infância são produto de influências ou agentes externos.

Especialmente, das atitudes e das opiniões dos adultos.

Em outras palavras, o medo de ir ao dentista pode surgir devido à forma como os adultos projetam sua imagem. Por outro lado, também pode surgir como parte do temor em relação ao desconhecido.

O medo de se sentar na cadeira do dentista é um dos transtornos reconhecidos pela Organização Mundial da Saúde. Ela afirma que, pelo menos 15% da população de um país sofre com esse problema.

Mesmo assim, o tema das crianças com medo de dentista ainda tem muito mais para ser investigado, já que os fatores avaliados também influenciam na experiência.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO

Dessa forma, a Universidade Hebrea de Jerusalém, realizou um estudo em que foi monitorado o nível de ansiedade de um grupo de crianças que estava realizando uma limpeza bucal.

Uma parte da grupo foi a um consultório que possuía luzes coloridas, música e outros detalhes. Enquanto a outra parte do grupo se dirigiu a um consultório normal.


Youtube / Clinica Amai - Dentista de Criança



3/31/2020

HIGIENE ORAL : Fissuras labiopalatinas: Primeiros cuidados

Higiene Oral

O lábio leporino é uma malformação anatômica que ocorre, geralmente, em torno da quarta e décima segunda semana de vida intra-uterina, respectivamente por falta ou deficiência de fusão dos processos maxilar e nasal médio ou dos processos palatinos.

A etiologia das fissuras labiopalatinas é controvertida, não sendo ainda possível isolar um fator causal específico.

Estudos mostram que os fatores ambientais, genéticos, ou ambos, podem determinar o aparecimento das fissuras. A incidência de indivíduos que nascem com malformações congênitas labiopalatais é relativamente alta.

No Brasil a prevalência é de 1 em cada 650 nascimentos. As fissuras podem atingir o lábio ou palato de forma completa ou incompleta, uni ou bilateralmente. Este tipo de malformação destaca-se pela complexidade de seus efeitos estéticos e funcionais.

As fissuras labiopalatais são passíveis de correção e não devem impedir o indivíduo de levar uma vida normal.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO

Contudo, desde o nascimento as crianças portadoras de fissuras encontram algumas dificuldades para se alimentar entre estas: ingestão insuf iciente, déficit de sucção, escape nasal, excessiva deglutição de ar, vômitos abundantes, engasgamento e asfixias.

Assim, a dificuldade na alimentação do bebê fissurado surge devido a prejuízos no mecanismo de sucção e deglutição, decorrentes da falta de integridade anatômica.

Porém, sabe-se que a sucção é uma função inata, já experimentada pelo feto em vida intra-uterina, de modo a capacitar a musculatura intra e extrabucal. Este mecanismo não decorre de forma diferente no fissurado.


Youtube / Centrinho USP



PREVENÇÃO : Como fazer a higiene bucal dos bebês

Ortodontia

Além das indiscutíveis propriedades físicas, nutricionais e psicológicas do leite materno, a amamentação é importante para a saúde bucal do bebê.

Os cuidados com a higiene bucal devem começar a partir do nascimento do bebê.

No recém-nascido, a limpeza deve ser feita com uma gaze ou fralda umedecida em água limpa para remover os resíduos de leite.

Veja Também: Bebês podem nascer com dente; saiba o que fazer

Com o nascimento dos primeiros dentes (por volta dos 6 meses), a gaze deve ser substituída por uma dedeira.


Youtube / Educação Físicaa