Mostrando entradas con la etiqueta Saúde Bucal. Mostrar todas las entradas
Mostrando entradas con la etiqueta Saúde Bucal. Mostrar todas las entradas

4/14/2020

PREVENÇÃO: Cárie precoce em crianças pode ser evitada com a prevenção

Reabilitação

O Journal of Dental Research é uma publicação americana que divulga estudos científicos da área odontológica.

De acordo com o veículo, entre 60 e 90% das crianças e quase 100% dos adultos de todo o mundo têm cárie.

Relatou-se ainda que os problemas bucais afetam 3,9 bilhões de pessoas, onde a periodontite severa e as cáries em dentes de leite estão fortemente presentes.


Informações como essas alertam para a necessidade de uma prática importante: a prevenção!

Para incentivar essa prática e contribuir com a saúde bucal desse público, a Clínica de Odontologia da Unoeste, localizada no campus I da universidade, oferece serviços gratuitos de odontobebê (de 0 a 4 anos) e odontopediatria (4 a 14 anos).

“Realizamos atendimentos de prevenção à cárie dentária como profilaxia, aplicação tópica de flúor e selantes. Prestamos também ações curativas como restaurações, canal, exodontia e ortodontia preventiva”, explica a professora Karine Takahashi.

Veja Também: PREVENÇÃO : Como fazer a higiene bucal dos bebês

Mesmo que não possuam dentes, ela explica que é preciso uma atenção especial com os bebês. “Fornecemos orientações de dieta, higiene e aleitamento, além da aplicação de flúor e acompanhamento do desenvolvimento da dentição”.

Esse trabalho é importante, pois a cárie precoce da infância tem alta prevalência, atingindo principalmente a faixa etária entre 0 e 3 anos, que se alimentam no período noturno. “Essa cárie é altamente agressiva, influenciando no crescimento, desenvolvimento e qualidade de vida da criança”, destaca a docente.

Residente em Presidente Bernardes (SP), Luciana Restani Valentim Junqueira é mãe de Maria Julia de um ano e quatro meses. “Toda a noite eu amamento a minha filha e essa prática acarretou em problemas bucais.

Muitos acham que só o leite de mamadeira causa a cárie por causa do açúcar. Isso é uma ideia equivocada que pude constatar na prática”. Comenta que a cárie na pequena Ana Julia foi descoberta na clínica da universidade. “Estou tranquila, pois sei que aqui a minha filha recebe todos os cuidados necessários”, diz, destacando a estrutura do local.

Quem também está sendo atendida na universidade, por meio da odontopediatria, é Mirelly Vitória Piovan Ribeiro de 7 anos. “Fomos encaminhados para cá depois que passamos na UBS do bairro prudentino Brasil Novo”, conta a mãe da criança, Lucimara Piovan Santos.

Ela conta que não sabia dos serviços prestados para essa faixa etária. “Quando solteira já fiz tratamento aqui e, atualmente, meu marido Damião também é beneficiado pelo local. Estou feliz em poder trazer a minha filha para essa iniciativa, pois não teria condições financeiras de arcar com os custos”.

investimentosenoticias.com.br

4/05/2020

HIGIENE ORAL : Cuidados com os Primeiros Dentes

Higiene Oral

Os primeiros dentes de um bebé normalmente começam a aparecer por volta dos seis meses de idade.

No entanto, deverá começar a preocupar-se com os dentes do seu bebé desde o início, uma vez que os dentes de leite também podem ter caries.

Inicialmente basta passar uma compressa embebida em água morna sobre a gengiva de manhã e à noite para limpar de forma suave a superfície dos dentes do seu bebé.



Uma boa maneira de incentivar os bons hábitos de higiene desde o início é fazê-los à frente do seu filho: ao mostrar-lhe como escova os seus dentes, a partir de uma certa idade, o seu filho irá querer imitá-la!

A partir dos 18 meses, dê ao seu filho a sua primeira escova de dentes e comece a utilizá-la com ele. A partir dos dois anos, pode começar a adicionar uma quantidade do tamanho de uma ervilha de pasta de dentes na escova do seu filho.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO

É claro que ele não irá aprender de imediato como utilizar a escova, provavelmente só vai querer tricá-la e comer a pasta dentífrica em vez de escovar os dentes.

Deixo-o brincar um pouco com a escova, e em seguida, ajude-o a concluir com cuidado a escovagem. Nesta fase final deve tentar fazer pequenos movimentos circulares com a escova, e lavar perto das gengivas.


Youtube / Leon Daghlian



CÁRIE DE MAMADEIRA: O que é isso?

CÁRIE DE MAMADEIRA

A Cárie de Mamadeira

A cárie de mamadeira é uma doença que acomete os bebês e está relacionada principalmente à ingestão de líquidos açucarados durante a noite.

Ou seja, aquela história de que não devemos dormir sem escovar os dentes também vale para os pequeninos.



Depois da mamada, o leite fica estagnado na boca da criança. Além disso, a salivação da criança diminui durante o sono. Esses fatores, associados a uma má higiene da boca, fazem com que a cárie se desenvolva muito rapidamente, causando grandes estragos nos dentes das crianças.

Para evitar isso, é importante que a mãe não adicione açúcar ao leite da mamadeira e evite que a criança durma logo depois de mamar.

Veja Também: PREVENÇÃO : Como fazer a higiene bucal dos bebês

Deve-se ainda escovar o dente da criança depois de cada mamadeira, e antes de dormir a escovação deve ser reforçada com um pouco de pasta de dente, já que o período da noite é o mais crítico para o surgimento de cáries.

Com o tempo, a mamadeira deve ser substituída gradativamente por líquidos no copo.

Paula R. F. Dabus
Guia do Bebê



3/31/2020

HIGIENE ORAL : Fissuras labiopalatinas: Primeiros cuidados

Higiene Oral

O lábio leporino é uma malformação anatômica que ocorre, geralmente, em torno da quarta e décima segunda semana de vida intra-uterina, respectivamente por falta ou deficiência de fusão dos processos maxilar e nasal médio ou dos processos palatinos.

A etiologia das fissuras labiopalatinas é controvertida, não sendo ainda possível isolar um fator causal específico.

Estudos mostram que os fatores ambientais, genéticos, ou ambos, podem determinar o aparecimento das fissuras. A incidência de indivíduos que nascem com malformações congênitas labiopalatais é relativamente alta.

No Brasil a prevalência é de 1 em cada 650 nascimentos. As fissuras podem atingir o lábio ou palato de forma completa ou incompleta, uni ou bilateralmente. Este tipo de malformação destaca-se pela complexidade de seus efeitos estéticos e funcionais.

As fissuras labiopalatais são passíveis de correção e não devem impedir o indivíduo de levar uma vida normal.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO

Contudo, desde o nascimento as crianças portadoras de fissuras encontram algumas dificuldades para se alimentar entre estas: ingestão insuf iciente, déficit de sucção, escape nasal, excessiva deglutição de ar, vômitos abundantes, engasgamento e asfixias.

Assim, a dificuldade na alimentação do bebê fissurado surge devido a prejuízos no mecanismo de sucção e deglutição, decorrentes da falta de integridade anatômica.

Porém, sabe-se que a sucção é uma função inata, já experimentada pelo feto em vida intra-uterina, de modo a capacitar a musculatura intra e extrabucal. Este mecanismo não decorre de forma diferente no fissurado.


Youtube / Centrinho USP



PREVENÇÃO : Como fazer a higiene bucal dos bebês

Ortodontia

Além das indiscutíveis propriedades físicas, nutricionais e psicológicas do leite materno, a amamentação é importante para a saúde bucal do bebê.

Os cuidados com a higiene bucal devem começar a partir do nascimento do bebê.

No recém-nascido, a limpeza deve ser feita com uma gaze ou fralda umedecida em água limpa para remover os resíduos de leite.

Veja Também: Bebês podem nascer com dente; saiba o que fazer

Com o nascimento dos primeiros dentes (por volta dos 6 meses), a gaze deve ser substituída por uma dedeira.


Youtube / Educação Físicaa



3/28/2020

SAÚDE BUCAL: Higiene bucal do bebe sem dentes


Os cuidados com a higiene bucal devem começar a partir do nascimento do bebê.

No recém-nascido, a limpeza deve ser feita com uma gaze ou fralda umedecida em água limpa para remover os resíduos de leite.

Com o nascimento dos primeiros dentes (por volta dos 6 meses), a fralda deve ser substituída por uma dedeira.


Aos 18 meses, com o nascimento dos primeiros molares decíduos, a higiene deverá ser realizada com uma escova dental infantil sem creme dental ou com um creme dental sem flúor.

O creme dental fluoretado só deverá ser utilizado a partir dos 2 ou 3 anos de idade, quando a criança souber cuspir completamente o seu excesso.

Veja também: Técnicas radiográficas para pacientes pediátricos com necessidades especiais na Odontologia


Youtube / Camila Medina

3/27/2020

HIGIENE ORAL: Como cuidar da saúde bucal do bebê

Saúde Bucal

É durante o período do nascimento até a infância a fase mais importante do desenvolvimento bucal de uma pessoa.

Se os dentes forem bem cuidados durante essa fase da vida, a chance desse paciente sofrer de algum problema bucal é muito pequena e o índice de saúde bucal da criança será excelente.

A atuação precoce na cavidade bucal do recém-nascido é fundamental para o bom desenvolvimento de hábitos saudáveis.

Quando eu devo me preocupar com a saúde bucal do meu bebê?


A prevenção começa com o aleitamento materno, pois além das vantagens sob o ponto de vista:

Emocional,
Imunológico,
Nutricional,

Veja Também: ODONTOPEDIATRIA : O que é Ulectomia?

Entre outros em menores porcentagens

Ele também é importante sob o ponto de vista odontológico, uma vez que o bebê nasce com a mandíbula para trás (retrógnata) e o ato de amamentar irá proporcionar o avanço mandibular e, consequentemente, o correto desenvolvimento da arcada e dos dentes de leite. A amamentação permite que o bebê respire pelo nariz evitando a má oclusão e melhorando a saúde bucal do bebê.

A criança amamentada no peito sacia a sua necessidade de sucção, tendo menor chance de desenvolver hábitos deletérios( chupar dedo, pipo,…) que posteriormente, prejudicam muito a saúde bucal do bebê.

E quando meu bebê ficar maiorzinho?

Até 6 meses de idade (existe uma variação significativa no que diz respeito a essa data dependendo da linha de raciocínio de cada pessoa) a amamentação deve ser exclusiva no peito pois o leite materno é suficiente para suprir todas as necessidades físicas e nutritivas do bebê. Após essa idade, o bebê experimenta alimentos pastosos e aprende a mastigar.

O ideal é passar do seio para copos modificados, a mamadeira deve ser evitada a todo custo, devido aos problemas de má oclusão e às caries de mamadeiras que prejudicam bastante a saúde bucal do bebê.

Quando deve ser a primeira consulta do bebê?

Antes mesmo que apareça os primeiros dentinhos, a mamãe deve levar o bebê ao odontopediatra ( dentista, especialista em cuidados com crianças) para que o mesmo possa verificar se a mãe aplicou as atitudes aprendidas no pré-natal odontológico e reforçar as orientações sobre a amamentação. Na segunda consulta, aos seis meses ou quando aparecer o primeiro dente de leite já são iniciadas as limpezas e aplicações de flúor.

Como agir se a criança for maior?

Quando a criança vai ficando maior, já cresce sem o famoso “medo do dentista” e com isso o profissional pode intensificar os aconselhamentos sobre:

Como escovar os dentes do seu filho (técnica de escovação, tipo de pasta de dente, posição, como fazer se ele não deixar, etc), Hábitos de dieta saudáveis (como fazer para seu filho poder comer de tudo mas sem ter cárie), O uso do flúor em bebês, Mais importante de tudo, a familiarização da criança com o ambiente e a equipe odontológica (condicionamento infantil).

Com o aparecimento dos primeiros dentes, a higiene bucal deve ser realizada com escova própria para bebê e sem pasta (ou com pasta sem flúor), pois até 3 anos de idade a criança não consegue cuspir a pasta e esta, se conter flúor, pode provocar manchas irreversíveis nos dentes permanentes que estão em formação.

doutissima.com.br

HIGIENE ORAL: Crianças podem aprender a usar o fio dental desde cedo

Prevenção

O fio dental deve ser introduzido na rotina da criança assim que os dentes começarem a nascer.

“Primeiramente a limpeza com o fio dental pode ser feita uma vez ao dia, obviamente realizada pelos pais.

Isso fará com que a criança sempre o encare como algo natural, assim como tomar banho e pentear os cabelos”, afirma Renata Centenaro, cirurgiã-dentista idealizadora do projeto infantil Turminha do Sorriso que leva saúde bucal às escolas.

Para a especialista, o interessante é deixar o interesse da criança vir com naturalidade. “Com o passar do tempo ela vai ter curiosidade e pedirá um pedaço do fio dental na mão”.


O exemplo também é super importante. A criança acaba por ser motivada ao ver seus pais usando o fio dental. “É a mesma coisa que tentar forçar o filho a comer uma fruta, se a criança só vê os pais comendo doces.

Exemplo e rotina farão o hábito se estabelecer naturalmente”, diz a especialista.

Veja Também: ODONTOPEDIATRIA : O que é Ulectomia?

Supervisão é fundamental

Apesar de as crianças serem capazes de aprender a usar o fio dental bem pequenas, antes dos seis anos de idade, essa prática não pode ser feita sem a supervisão de um adulto.

“É importante que o adulto faça a higiene da criança e ao mesmo tempo estimule o hábito.

Assim, ela vai se sentir motivada a treinar a coordenação motora para conseguir passar corretamente e, com a persistência, passará melhor que as crianças da mesma idade que não treinam diariamente”, afirma Renata.

É importante ressaltar que é normal que antes dos seis anos de idade a criança ainda não passe o fio dental e nem escove os dentes com perfeição. “Nessa fase, a higiene adequada é tarefa dos pais”, diz.

Aprender brincando

Para que o aprendizado seja ainda mais fácil, Renata acredita que tentar tornar o momento da higiene bucal prazeroso é o melhor caminho. Portanto canções e brincadeira são super bem vindos nessa hora.

Além disso, nessa idade as crianças são muito receptivas ao que é “certo” por terem necessidade de aceitação e aprovação. “Elas querem ser elogiadas e aceitas. Diga-lhe que algo faz bem e que é certo de forma agradável e prazerosa e ela vai se esmerar em fazer.

E é possível explicar-lhe numa linguagem adequada ao seu entendimento que passar fio dental vai limpar o espaço entre os dentes, onde a escova não entra, e ela vai entender perfeitamente”, diz a dentista.

saude.terra.com.br

3/26/2020

SAÚDE BUCAL : Primeira Consulta Odontopediatra

Ortodontia

A primeira visita ao dentista reserva muitas boas surpresas e novidades que normalmente encantam os pequenos pacientes.

É dividida em diferentes momentos, que assim como os procedimentos e técnicas que serão comentadas a seguir, irá variar de acordo com a formação do profissional, a necessidade e a idade do paciente.

Na primeira visita ao dentista, após perguntas sobre a saúde geral da criança (chamada "Anamnese Geral"), faz-se uma detalhada conversa com os responsáveis, para que se conheça o risco que a criança tem em desenvolver problemas bucais, e se conheça o pequeno paciente também (chamada "Anamnese Dirigida").


É feita na primeira consulta ao dentista a apresentação do meio odontológico da forma mais acolhedora possível, visando estimular a curiosidade da criança, sempre com explicações coerentes à sua faixa etária.

O próximo passo é o exame da criança ("Exame Clínico"), uma inspeção visual onde registra-se a situação atual de desenvolvimento da boquinha e procura-se qualquer anormalidade em dentes e gengivas e nas funções relacionadas à face, como sucção, respiração, deglutição, mastigação, fala, etc.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO

Existem vários métodos para o atendimento do bebê: ou com o responsável sentado na cadeira odontológica e o bebê no seu colo; ou o bebê sentadinho em uma cadeirinha especial (chamada "macri"); ou o profissional sentado de frente para o responsável, com os joelhos se encostando e formando uma "caminha", onde o bebê fica deitado (chamada técnica "joelho a joelho"), entre outras.


Youtube / Dia a dia de mamãe

3/20/2020

EMERGÊNCIA : Traumatismo Dentário em crianças

EMERGÊNCIA

O traumatismo dentário pode ser definido como uma agressão térmica, química ou mecânica sofrida pelo dente e estruturas adjacentes.

Cuja magnitude supera a resistência encontrada nos tecidos ósseos e dentários, sendo que a sua extensão tem relação direta com a intensidade, tipo e duração do impacto.

Ele representa um problema de saúde pública no Brasil, atingindo uma considerável parcela da população, ocasionando desde pequenas perdas até a avulsão total do dente.


Crianças com até 3 anos de idade estão começando a andar, logo podem cair e seus reflexos não estão totalmente desenvolvidos.

O trauma dental pode lesar os tecidos de suporte dental, mucosas e lábios resultando em importante sangramento e podem estar associados ao trauma de cabeça.

Veja Também: Radiografia dental em crianças e segurança

De zero a três anos as lesões que caracterizam o trauma dental estão mais relacionadas com a luxação do dente decíduo (dente temporário), isso ocorre porque o osso é mais esponjoso e maleável, o que leva a absorção do impacto.

Já em crianças maiores o osso tem maior dureza e mais resistência, neste caso é mais comum a fratura dentária e avulsão do elemento dentário.


Youtube / Médico da Família
Foto : Pediatra Orienta

Gestante/Grávida pode fazer tratamento dentário?

Saude Bucal

As pessoas ouvem falar sobre prevenção de dentes dos bebês, das crianças, dos adultos e dos idosos.

Porém, esquecem-se daquela que é a chave principal para tal desenvolvimento, a grávida.

O tratamento dentário durante a gravidez deve ser muito cuidadoso, pois dentro da mulher há um ser frágil que sente tudo o que acontece ao seu redor.

A grávida também deve se informar sobre o que acontece em seu organismo nesse período.


As alterações mais comuns são: a grávida passa a se alimentar com maior frequência, é maior o consumo de doces, há um aumento de acidez na boca, e diminuição dos cuidados com a higiene oral.

Será que uma gestante pode fazer tratamento dentário?

Veja Também: Mantenedores de Espaço e sua Aplicação Clínica


Youtube / Mamamor aleitamento materno

3/15/2020

SAÚDE BUCAL : Os primeiros dentes

Saude Bucal

Os dentes de leite aparecem entre os 6 meses e, por volta dos 3 anos de idade, a dentição temporária fica completa. Aprenda a reconhecer os sintomas de que os dentes de leite estão a nascer.

O desenvolvimento dos dentes inicia-se quando o bebé ainda está no útero mas, em geral, o primeiro dente aparece por volta dos 6 meses.

Normalmente, o primeiro dente a romper é um dos incisivos centrais inferiores (a meio da gengiva de baixo), rapidamente seguido pelos incisivos centrais do maxilar inferior e superior.


A erupção dos dentes no bebé ou na criança podem ser penosos para a criança e para os pais que não sabem porque chora ou se recusa o bebé a comer.

Alguns dos sintomas associados ao desenvolvimento dos dentes podem ser um sinal de doença ou dever-se a algum sentimento de frustração do bebé como quando não consegue alcançar um brinquedo, por exemplo.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO

Mesmo antes de nascerem os 1os dentinhos, por volta do 6o mês de vida, recomenda-se a higienização de bochechas, linguas e gengiva com uma gaze ou fralda umedecida para que o bebê já vá se acostumando com o hábito e com a intervenção na boca.

Com o surgimento dos primeiros dentinhos pode-se usar escova de dente infantil com cerdas macias somente molhada em água fervida ou filtrada , 2x ao dia.

O uso da dedeira de silicone também é uma alternativa para essa fase, embora sua ação maior seja massagear as gengivas diminuindo o desconforto causado pela erupção dos dentes.


Youtube / Clube Bebé Nestlé

3/10/2020

SAÚDE BUCAL: Bebês podem nascer com dente; saiba o que fazer

Saúde Bucal

Onascimento de um dentinho é um processo fisiológico que se inicia por volta dos seis meses de vida. Porém, alguns bebês podem já nascer com alguns dentes.

Nestes casos, é preciso o acompanhamento de um odontopediatrapara que os hábitos e a saúde bucal da criança não sejam prejudicados por causa disso.

“Quando o bebê já nasce com alguns dentes eles são chamados de dentes natais. Quando a erupção se dá até o trigésimo dia de vida, são chamados de neonatais. A causa desse nascimento precoce ainda não está muito bem definida, mas pode estar relacionada com hereditariedade”, diz a odontopediatra Fernanda Raven.


Extrair ou não extrair, eis a questão

Quando a criança apresenta um dente natal, o especialista deve fazer uma avaliação para definir qual o melhor tratamento para esse caso. “Tudo dependerá do grau de mobilidade deste dente.

Se ele apresentar muita mobilidade,será indicada a extração para evitar o risco de o bebêo aspirar ou engolir. Se apresentar pouca, o dentista poderá optar por manter o dente e lixar a borda para evitar trauma na língua”, diz Fernanda.

Veja Também: Pigmentações extrínsecas negras do esmalte em ODONTOPEDIATRIA

Esse lixamento das bordas também será fundamental para que o bebê não tenha problemas na hora da amamentação. “O dente natal pode ferir a aréola e mamilo da mãe, atrapalhando ou até impedindo a amamentação da criança”, afirma a especialista.

Porém, se esse dente for um dente extra (que não faz parte da dentição normal da criança), poderá ser extraído sem problema (um exame radiográfico mostrará esse quadro com clareza). Assim, quando a criança completar seis meses de idade, seus dentes de leite nascerão completos e normais.

Higienização normal

Os cuidados com a higiene desse dente “apressadinho” devem ser os mesmo que pais e dentistas teriam com os primeiros dentes nascidos na época certa, ou seja, o uso de uma gaze ou fralda umedecida com água limpa ou uma dedeira de silicone podem fazer esse papel de forma bem eficiente.

saude.terra.com.br

CÁRIE DE MAMADEIRA, Você já ouviu falar dela?

Cárie

A persistência na amamentação, seja ela natural ou artificial durante a madrugada, com grande frequência e sem qualquer tipo de higiene, pode acarretar a chamada cárie de mamadeira ou cárie rampante.

É uma cárie aguda, agressiva, de evolução rápida e que provoca muita sensibilidade (dor), podendo causar a destruição dos dentes de leite em um curto espaço de tempo.

A causa desse tipo de cárie acontece da seguinte maneira: quando a criança adormece, o número e a frequência das deglutições diminuem assim como o fluxo salivar, responsável por banhar e proteger os dentes das bactérias.


A associação desses elementos mais o tempo longo em que a criança permanece dormindo, são suficientes para o enfraquecimento das superfícies dentais.

Clinicamente, esse tipo de cárie se inicia com manchas esbranquiçadas nos incisivos superiores e inferiores, que, mais tarde, se não removido o hábito, podem vir a formar grandes cavidades (cárie ), podendo até destruir sua coroa clínica.

Outros fatores que podem determinar o aparecimento da cárie de mamadeira são:

adoçar a chupeta com mel ou açúcar para que a criança se acalme e adormeça; o consumo excessivo de suco ácidos ( laranja, limão ) e coca cola na mamadeira durante o dia todo.

Veja Também: SAÚDE BUCAL : Primeira Consulta Odontopediatra

Para evitar a cárie de mamadeira os pais, se possível, não devem oferecer o leitinho da madrugada ou antes de dormir. Esse é o momento de descanso da criança, ela não precisa mamar; neste caso, ela estará sendo induzida a um hábito vicioso e nocivo, que poderá prejudicar seus dentes (mesmo que sejam poucos), principalmente se for adicionado açúcar, achocolatado ou mel.

A limpeza da boca deve ser feita após cada mamada, seja ela no peito ou na mamadeira, com gaze ou fralda embebida em água filtrada ou outra solução a ser prescrita pelo odontopediatra, caso a criança ainda não tenha os dentinhos.

Atualmente, é preconizado o início da escovação, com escova de dentes, logo após o aparecimento dos primeiros dentinhos. Para o bebê, a escova indicada, embora tenhamos poucas opções no mercado nacional, é uma escova extra-macia.

A partir da erupção dos primeiros molares decíduos (de leite), a escovação deverá se iniciar através de escovas infantis com cerdas macias, principalmente para higienizar as superfícies oclusais desses dentes, gengiva e língua.

A quantidade de pasta para isso é de ,aproximadamente, a de uma ervilha. Muita atenção para a criança não ingerir pastas fluoretadas, já que o flúor é tóxico e se ingerido em pequenas doses diárias causará fluorose.

Se o processo carioso se instalar e não for tratado adequadamente, com o passar do tempo poderão aparecer problemas maiores como: dor de dente, grandes cavidades de cárie, restaurações extensas, tratamento de canal, problema periodontal (de gengiva) ou até a perda precoce de dentes.

É oportuno ressaltar que no passado, quando não havia preocupação com a saúde bucal como há hoje, era comum a errônea idéia de que a perda de dentes de leite não importava, pois eles seriam substituídos pelos dentes permanentes.

Isso é um grande equívoco. A perda prematura dos dentes de leite é catastrófica, causando sérios problemas para a dentição permanente.

A convivência harmônica dos dentes de leite com os permanentes deve estar presente até, mais ou menos, 12 anos; por isso, a preservação dos dentes de leite é fundamental para evitar futuros problemas, inclusive ortodônticos.

abcdasaude.com.br

3/08/2020

Manchas escuras nos dentes das crianças


Hoje vou falar aqui sobre as Bactérias Cromogênicas - bactérias que se coram - mas existem muitas outras causas para o aparecimento de manchinhas nos dentes, como: cárie, tabagismo, fluorose, necrose pulpar e antibióticos.

Somente um dentista pode detectar o que é e como tratar.

Essa bactéria, como a da espécie Prevotella melaninogênica, deixa a parte interna dos dentes com coloração enegrecida.


Não existe ainda um fator causador dessa alteração, mas sabe-se que o pigmento é o composto férrico, formado pela interação entre bactérias e a saliva.

Não há também um remédio para fazer com que ela desapareça.

Veja também: SAÚDE BUCAL : Os primeiros dentes

Essa bactéria causa prejuízo estético e é removida com uma profilaxia dental (limpeza) feita em consultório.

Não vale aqui usar produtos clareadores, nem experimentos caseiros.


Youtube / Fábrica de Audiência

3/06/2020

DENTES DE LEITE: Como ajudar o seu bebê a aliviar as dores dos primeiros dentinhos?


Comportamento choroso e irritadiço, falta de apetite, febre baixa e fezes mais amolecidas normalmente são sinais de que os primeiros dentes do seu bebê estão nascendo.

O surgimento da dentição ocorre geralmente quando o pequeno atinge os seis meses de idade, e a erupção na gengiva pode ser bem desconfortável, por conta da dor e coceira.


"O incômodo só acontece na primeira dentição, e o bebê sofrerá com as dores sempre que um dente novo estiver nascendo", explica a pediatra Sônia Liston, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, em São Paulo.

Siga as dicas dos especialistas e veja como aliviar as dores dos primeiros dentes do bebê.

Veja também: Como e quando fazer tratamento de CANAL em criança


Youtube / Diario de Pernambuco