Mostrando entradas con la etiqueta Higiene oral. Mostrar todas las entradas
Mostrando entradas con la etiqueta Higiene oral. Mostrar todas las entradas

4/05/2020

HIGIENE ORAL : Cuidados com os Primeiros Dentes

Higiene Oral

Os primeiros dentes de um bebé normalmente começam a aparecer por volta dos seis meses de idade.

No entanto, deverá começar a preocupar-se com os dentes do seu bebé desde o início, uma vez que os dentes de leite também podem ter caries.

Inicialmente basta passar uma compressa embebida em água morna sobre a gengiva de manhã e à noite para limpar de forma suave a superfície dos dentes do seu bebé.



Uma boa maneira de incentivar os bons hábitos de higiene desde o início é fazê-los à frente do seu filho: ao mostrar-lhe como escova os seus dentes, a partir de uma certa idade, o seu filho irá querer imitá-la!

A partir dos 18 meses, dê ao seu filho a sua primeira escova de dentes e comece a utilizá-la com ele. A partir dos dois anos, pode começar a adicionar uma quantidade do tamanho de uma ervilha de pasta de dentes na escova do seu filho.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO

É claro que ele não irá aprender de imediato como utilizar a escova, provavelmente só vai querer tricá-la e comer a pasta dentífrica em vez de escovar os dentes.

Deixo-o brincar um pouco com a escova, e em seguida, ajude-o a concluir com cuidado a escovagem. Nesta fase final deve tentar fazer pequenos movimentos circulares com a escova, e lavar perto das gengivas.


Youtube / Leon Daghlian



3/31/2020

HIGIENE ORAL : Fissuras labiopalatinas: Primeiros cuidados

Higiene Oral

O lábio leporino é uma malformação anatômica que ocorre, geralmente, em torno da quarta e décima segunda semana de vida intra-uterina, respectivamente por falta ou deficiência de fusão dos processos maxilar e nasal médio ou dos processos palatinos.

A etiologia das fissuras labiopalatinas é controvertida, não sendo ainda possível isolar um fator causal específico.

Estudos mostram que os fatores ambientais, genéticos, ou ambos, podem determinar o aparecimento das fissuras. A incidência de indivíduos que nascem com malformações congênitas labiopalatais é relativamente alta.

No Brasil a prevalência é de 1 em cada 650 nascimentos. As fissuras podem atingir o lábio ou palato de forma completa ou incompleta, uni ou bilateralmente. Este tipo de malformação destaca-se pela complexidade de seus efeitos estéticos e funcionais.

As fissuras labiopalatais são passíveis de correção e não devem impedir o indivíduo de levar uma vida normal.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO

Contudo, desde o nascimento as crianças portadoras de fissuras encontram algumas dificuldades para se alimentar entre estas: ingestão insuf iciente, déficit de sucção, escape nasal, excessiva deglutição de ar, vômitos abundantes, engasgamento e asfixias.

Assim, a dificuldade na alimentação do bebê fissurado surge devido a prejuízos no mecanismo de sucção e deglutição, decorrentes da falta de integridade anatômica.

Porém, sabe-se que a sucção é uma função inata, já experimentada pelo feto em vida intra-uterina, de modo a capacitar a musculatura intra e extrabucal. Este mecanismo não decorre de forma diferente no fissurado.


Youtube / Centrinho USP



3/28/2020

SAÚDE BUCAL: Higiene bucal do bebe sem dentes


Os cuidados com a higiene bucal devem começar a partir do nascimento do bebê.

No recém-nascido, a limpeza deve ser feita com uma gaze ou fralda umedecida em água limpa para remover os resíduos de leite.

Com o nascimento dos primeiros dentes (por volta dos 6 meses), a fralda deve ser substituída por uma dedeira.


Aos 18 meses, com o nascimento dos primeiros molares decíduos, a higiene deverá ser realizada com uma escova dental infantil sem creme dental ou com um creme dental sem flúor.

O creme dental fluoretado só deverá ser utilizado a partir dos 2 ou 3 anos de idade, quando a criança souber cuspir completamente o seu excesso.

Veja também: Técnicas radiográficas para pacientes pediátricos com necessidades especiais na Odontologia


Youtube / Camila Medina

Manchas nos Dentes em Crianças

Manchas nos dentes

Quando os pais enviam mensagens dizendo que estão preocupados com as manchas em dentes de leite de seus bebês ou crianças, na maioria das vezes, a sensação que me dá é que eles já têm a certeza de que tem algo de errado.

No fundo já sabem que a maior chance é do que vêm nos dentes de seu bebê serem cáries.

As cáries iniciam-se com manchas brancas, que são descalcificações.


Descalcificações têm aspecto opaco, não brilhante. Para ter certeza dessa condição, o dente deve estar bem escovado, sem placa bacteriana.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO


Youtube / Clinica Amai - Dentista de Criança

3/27/2020

HIGIENE ORAL: Como cuidar da saúde bucal do bebê

Saúde Bucal

É durante o período do nascimento até a infância a fase mais importante do desenvolvimento bucal de uma pessoa.

Se os dentes forem bem cuidados durante essa fase da vida, a chance desse paciente sofrer de algum problema bucal é muito pequena e o índice de saúde bucal da criança será excelente.

A atuação precoce na cavidade bucal do recém-nascido é fundamental para o bom desenvolvimento de hábitos saudáveis.

Quando eu devo me preocupar com a saúde bucal do meu bebê?


A prevenção começa com o aleitamento materno, pois além das vantagens sob o ponto de vista:

Emocional,
Imunológico,
Nutricional,

Veja Também: ODONTOPEDIATRIA : O que é Ulectomia?

Entre outros em menores porcentagens

Ele também é importante sob o ponto de vista odontológico, uma vez que o bebê nasce com a mandíbula para trás (retrógnata) e o ato de amamentar irá proporcionar o avanço mandibular e, consequentemente, o correto desenvolvimento da arcada e dos dentes de leite. A amamentação permite que o bebê respire pelo nariz evitando a má oclusão e melhorando a saúde bucal do bebê.

A criança amamentada no peito sacia a sua necessidade de sucção, tendo menor chance de desenvolver hábitos deletérios( chupar dedo, pipo,…) que posteriormente, prejudicam muito a saúde bucal do bebê.

E quando meu bebê ficar maiorzinho?

Até 6 meses de idade (existe uma variação significativa no que diz respeito a essa data dependendo da linha de raciocínio de cada pessoa) a amamentação deve ser exclusiva no peito pois o leite materno é suficiente para suprir todas as necessidades físicas e nutritivas do bebê. Após essa idade, o bebê experimenta alimentos pastosos e aprende a mastigar.

O ideal é passar do seio para copos modificados, a mamadeira deve ser evitada a todo custo, devido aos problemas de má oclusão e às caries de mamadeiras que prejudicam bastante a saúde bucal do bebê.

Quando deve ser a primeira consulta do bebê?

Antes mesmo que apareça os primeiros dentinhos, a mamãe deve levar o bebê ao odontopediatra ( dentista, especialista em cuidados com crianças) para que o mesmo possa verificar se a mãe aplicou as atitudes aprendidas no pré-natal odontológico e reforçar as orientações sobre a amamentação. Na segunda consulta, aos seis meses ou quando aparecer o primeiro dente de leite já são iniciadas as limpezas e aplicações de flúor.

Como agir se a criança for maior?

Quando a criança vai ficando maior, já cresce sem o famoso “medo do dentista” e com isso o profissional pode intensificar os aconselhamentos sobre:

Como escovar os dentes do seu filho (técnica de escovação, tipo de pasta de dente, posição, como fazer se ele não deixar, etc), Hábitos de dieta saudáveis (como fazer para seu filho poder comer de tudo mas sem ter cárie), O uso do flúor em bebês, Mais importante de tudo, a familiarização da criança com o ambiente e a equipe odontológica (condicionamento infantil).

Com o aparecimento dos primeiros dentes, a higiene bucal deve ser realizada com escova própria para bebê e sem pasta (ou com pasta sem flúor), pois até 3 anos de idade a criança não consegue cuspir a pasta e esta, se conter flúor, pode provocar manchas irreversíveis nos dentes permanentes que estão em formação.

doutissima.com.br

HIGIENE ORAL: Crianças podem aprender a usar o fio dental desde cedo

Prevenção

O fio dental deve ser introduzido na rotina da criança assim que os dentes começarem a nascer.

“Primeiramente a limpeza com o fio dental pode ser feita uma vez ao dia, obviamente realizada pelos pais.

Isso fará com que a criança sempre o encare como algo natural, assim como tomar banho e pentear os cabelos”, afirma Renata Centenaro, cirurgiã-dentista idealizadora do projeto infantil Turminha do Sorriso que leva saúde bucal às escolas.

Para a especialista, o interessante é deixar o interesse da criança vir com naturalidade. “Com o passar do tempo ela vai ter curiosidade e pedirá um pedaço do fio dental na mão”.


O exemplo também é super importante. A criança acaba por ser motivada ao ver seus pais usando o fio dental. “É a mesma coisa que tentar forçar o filho a comer uma fruta, se a criança só vê os pais comendo doces.

Exemplo e rotina farão o hábito se estabelecer naturalmente”, diz a especialista.

Veja Também: ODONTOPEDIATRIA : O que é Ulectomia?

Supervisão é fundamental

Apesar de as crianças serem capazes de aprender a usar o fio dental bem pequenas, antes dos seis anos de idade, essa prática não pode ser feita sem a supervisão de um adulto.

“É importante que o adulto faça a higiene da criança e ao mesmo tempo estimule o hábito.

Assim, ela vai se sentir motivada a treinar a coordenação motora para conseguir passar corretamente e, com a persistência, passará melhor que as crianças da mesma idade que não treinam diariamente”, afirma Renata.

É importante ressaltar que é normal que antes dos seis anos de idade a criança ainda não passe o fio dental e nem escove os dentes com perfeição. “Nessa fase, a higiene adequada é tarefa dos pais”, diz.

Aprender brincando

Para que o aprendizado seja ainda mais fácil, Renata acredita que tentar tornar o momento da higiene bucal prazeroso é o melhor caminho. Portanto canções e brincadeira são super bem vindos nessa hora.

Além disso, nessa idade as crianças são muito receptivas ao que é “certo” por terem necessidade de aceitação e aprovação. “Elas querem ser elogiadas e aceitas. Diga-lhe que algo faz bem e que é certo de forma agradável e prazerosa e ela vai se esmerar em fazer.

E é possível explicar-lhe numa linguagem adequada ao seu entendimento que passar fio dental vai limpar o espaço entre os dentes, onde a escova não entra, e ela vai entender perfeitamente”, diz a dentista.

saude.terra.com.br

3/03/2020

PREVENÇÃO : Falta de acompanhamento odontológico pode causar parto prematuro

PREVENÇÃO

Problemas na dentição e na gengiva são mais comuns na gravidez e podem trazer prejuízos para a mãe e o bebê. Entenda por que e saiba como garantir sua saúde bucal antes mesmo de engravidar.

O corpo da gestante passa por uma série de mudanças físicas, metabólicas e hormonais.

Todas elas ajudam a preparar o organismo para o desenvolvimento do bebê e influenciam diretamente na saúde bucal da mãe.


Só para se ter uma ideia, pesquisadores da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG) acompanharam a rotina de 88 gestantes e detectaram que 83% delas apresentaram algum problema periodontal, como inflamações ou infecções na gengiva.

Um dos motivos é uma maior produção dos hormônios estrogênio e progesterona pela placenta.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO

Essas substâncias promovem modificações vasculares que facilitam o ataque das bactérias, provocando vermelhidão, inchaço e sangramento na gengiva, o que caracteriza a chamada gengivite.

A melhor forma de cuidar do problema é caprichar na higienização, escovando os dentes depois das refeições e usando fio dental, além de evitar o consumo exagerado de doces.


Youtube / Rodrigo Guedes Oliveira

3/02/2020

Higiene oronasal em bebê com fissura labio palatina (antes da cirurgia)

Higiene Oral

Considerando o impacto emocional no momento do nascimento, uma das grandes preocupações dos pais diz respeito à alimentação do bebê.

Por isso, é de extrema importância a orientação inicial do enfermeiro para que pai e mãe se sintam acolhidos e possam cuidar de seu bebê com tranquilidade e segurança.

É importante, por exemplo, que após a amamentação, o bebê seja posicionado verticalmente (levantar o bebê) para que ele possa eructar (popularmente conhecido por arrotar).


É depois da erucção que a mamãe poderá fazer a higiene oronasal (boca e nariz). Como proceder?

Você vai precisar de cotonete, gaze, água filtrada, fervida (e fria) ou mineral e óleo mineral. Mesmo se o bebê chorar, tente ficar calma e também acalmá-lo.

Embeba a gaze na água, envolva-a em seu dedo indicador e coloque na boca do bebê, passando sobre a gengiva inferior, a superior e nas bochechas.

Troque a gaze quantas vezes for necessário até tirar todo o leite e os restos de alimento que estejam na boquinha do bebê. Bem devagar, passe também o dedo sobre a língua e no palato (céu da boca) em movimentos suaves e limpe completamente.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO

Agora pegue um cotonete e umedeça uma de suas laterais em água e passe na cavidade nasal (nariz). Depois, passe o lado seco do cotonete nas duas narinas do bebê.

Pegue o óleo mineral e umedeça outro cotonete que deve ser passado delicadamente no lábio do bebê no local da fissura. Prontinho. Após essas etapas, a região oronasal de seu bebê estará devidamente limpa, contribuindo em grande medida para a saúde bucal dele.

E atenção: essa limpeza deve ser feita após cada mamada.

Com o tempo, você vai perceber que essas ações consideradas simples, mas que exigem muita atenção e paciência da mãe ou do cuidador, farão toda a diferença ao longo do tratamento reabilitador da fissura labiopalatina.

Um bebê com boca saudável está mais preparado para as cirurgias, tem mais saúde geral e pode se desenvolver com mais qualidade. Fique de olho em nossas dicas, ok?!


Youtube / HRAC/Centrinho USP

2/27/2020

DENTES DE LEITE : Quando é que o meu bebé irá começar a ter dentes?

Higiene Oral

Os dentes de leite aparecem entre os 6 meses e, por volta dos 3 anos de idade, a dentição temporária fica completa.

O desenvolvimento dos dentes inicia-se quando o bebé ainda está no útero mas, em geral, o primeiro dente aparece por volta dos 6 meses.

Normalmente, o primeiro dente a romper é um dos incisivos centrais inferiores (a meio da gengiva de baixo), rapidamente seguido pelos incisivos centrais do maxilar inferior e superior.


Neste vídeo a Dra. Joana Saldanha fala-nos da grande variabilidade normal para este processo, ajudando ainda a identificar os sinais e sintomas do aparecimento dos dentes.

Veja Também: CRIANÇAS PODEM APRENDER A USAR O FIO DENTAL DESDE CEDO


Youtube / HMS-Portugal

2/15/2020

MAU HÁLITO: Crianças também são vítimas do mau hálito

Mau Halito

A odontopediatra Erica Negrini Lia, professora-adjunta do curso de odontologia da UnB (Universidade de Brasília), garante que as crianças não estão livres da halitose, popularmente conhecida como mau hálito.

Segundo ela, trabalhos realizados no Brasil mostraram que até 50% da população infantil de até 12 anos sofre com o problema.

— As causas são diversas e vão desde longos períodos sem alimentação ou ingestão de líquidos até a falta de higiene bucal.


A especialista também cita quadros de amigdalite, rinossinusite e refluxo gastroesofágico, comuns nesta faixa etária, como outras possíveis origens do mau cheiro na boca.

— Geralmente, os pais percebem e procuram ajuda profissional, mas o tratamento vai depender da investigação e remoção das causas. Se o problema estiver relacionado com respiração bucal, por exemplo, a criança será encaminhada ao otorrinolaringologista.

A professora da UnB enfatiza que os pequenos também precisam adotar hábitos de vida saudáveis, como alimentação adequada e ingestão de líquidos, e manter uma boa higiene bucal, que inclui “escovação dos dentes, limpeza da língua e fio dental”.

► Você também pode estar interessado :

° Bebês podem nascer com dente; saiba o que fazer
° Pigmentações extrínsecas negras do esmalte em ODONTOPEDIATRIA

— No caso de bebês, recomenda-se a limpeza da gengiva com fralda ou gaze embebida em água filtrada ou a utilização de dedeiras de silicone que têm a mesma finalidade.

Após o nascimento dos molares (dentes detrás), que ocorre por volta de um ano e meio, a dentista indica o uso de escovas dentais adequadas para a faixa etária e pasta sem flúor. Sobre o uso de enxaguante bucal ela faz um alerta.

— Não há recomendação de bochechos com solução antisséptica em crianças. Aliás, é um mito acreditar que esses produtos podem substituir a escovação.

Segundo a dentista Erica, as crianças devem ser estimuladas desde cedo a cuidar de sua própria saúde, no entanto, “a responsabilidade da execução final da higiene bucal deve ser de um adulto, até que a criança tenha pelo menos dez anos de idade, quando a aquisição da habilidade motora é quase completa”.

— Além dos pais darem o exemplo, é preciso lembrar que a primeira visita ao dentista deve acontecer quando o bebê completar seis meses, período que os dentes começam a nascer.

Fonte : noticias.r7.com

2/12/2020

Pigmentações extrínsecas negras do esmalte em ODONTOPEDIATRIA

Odontopediatria

As pigmentações negras do esmalte se devem à coloração extrínseca e estão associadas com problemas estéticos.

O objetivo é apresentar dois casos clínicos de crianças com pigmentações extrínsecas negras do esmalte dentário, com ênfase no tipo de tratamento e no acompanhamento.

Trata-se de um paciente de 5 anos de idade que utilizava constantemente sulfato ferroso para tratamento de anemia por deficiência de ferro; e outro paciente de 12 anos de idade com diabetes mellitus tipo 1 e dermatomiosite.


No primeiro caso observou-se a presença de pigmentações negras extrínsecas nos dentes decíduos e nos primeiros molares permanentes, principalmente nas superfícies lingual e vestibular na região cervical e terço médio, além de lesões de cárie incipientes nas superfícies oclusais dos molares e manchas brancas ativas nos primeiros molares permanentes.

Veja Também: SAÚDE BUCAL: Bebês podem nascer com dente; saiba o que fazer

No segundo caso, havia pigmentações negras extrínsecas na região cervical das superfícies lisas dos dentes decíduos e permanentes.

No primeiro caso, foi realizado tratamento para remoção das pigmentações negras e polimento dos dentes por meio de profilaxia profissional com creme dental abrasivo que contém pedra pomes microgranulada.

LEIA ARTIGO COMPLETO AQUI


Fuente / Autores : Revista Cubana de Estomatología Camila Menezes Costa Castelo Branco, Mayra Manoella Perez Reis dos Santos, Lucas Formiga Araújo, Renata de Oliveira Guaré, Maria Teresa Botti Rodrigues dos Santos, Michele Baffi Diniz

1/29/2020

INFOPACIENTE: Fatos importantes sobre a saúde bucal das crianças

Odontopediatria

A especialidade da odontologia que estuda e cuida da saúde bucal das crianças é a odontopediatria. É por meio deste ramo de atuação que o dentista estuda e cuida da primeira fase de formação e desenvolvimento dos dentes e do complexo orofacial do bebê.

Por isso, é de fundamental importância que o primeiro contato da criança com a odontologia seja com o odontopediatra.

No entanto, é importante ressaltar que a higiene bucal deve começar nos primeiros meses de vida, antes mesmo dos dentinhos nascerem.


Desta forma, o bebê se habituará a ter a boquinha manipulada, além de prevenir futuras doenças bucais. Os pais devem higienizar, inicialmente, a área após as mamadas, e escovar os dentinhos, incentivando-os a manterem este hábito, depois da alimentação durante todo o desenvolvimento infantil – que deve ir até por volta dos sete anos.

Veja Também: CIRURGIA ORAL : Utilização da ulectomia na clínica infantil : Relato de caso

Cuidados com a odontopediatria

O tratamento odontológico para crianças requer um cuidado especial: os pequenos precisam de maior atenção e até de cuidados psicológicos para que a visita ao dentista não vire uma tortura.

A falta de tato do dentista no atendimento com a criança pode comprometer todo o seu futuro odontológico. Além disto, o ambiente também deve ser atrativo, ajudando o pequeno a se sentir confiante e descontraído.

O primeiro fato a ser observado é que a odontopediatria deve entrar na vida da criança antes mesmo dela nascer. O ideal é que a gestante procure o dentista para uma avaliação e tratamento durante a gravidez, pois algumas infecções bucais podem ser fatores de risco para complicações obstétricas.

Importância da odontopediatria

A principal importância de se procurar a especialidade logo cedo é que, por meio disto, a mãe receberá orientações específicas sobre a saúde bucal de seu filho nos primeiros meses de vida. O odontopediatra dará instruções sobre o aleitamento materno, a amamentação, dieta e a mastigação.

Caberá ao profissional também observar as características bucais do recém-nascido, a erupção dos dentes e os hábitos bucais, assim como cuidar da sua higiene bucal e verificar algum possível traumatismo dental.

A criança que é acompanhada pela odontopediatria com regularidade terá menor probabilidade de desenvolver lesões e cáries. E caso haja necessidade de alguma intervenção, o procedimento será mais tranquilo.

É importante destacar que o aleitamento materno é o melhor alimento para o bebê, auxiliando, inclusive, no crescimento e desenvolvimento dos dentes, ossos e músculos da face. A Organização Mundial de Saúde indica o aleitamento materno até os seis meses de idade.

Somente a partir dos seis meses é que a alimentação deve passar a ser completada conforme orientações do médico pediatra.

No caso da criança ter o hábito de sucção, seja por meio de chupeta ou pelo dedo, a odontopediatria também auxiliará neste processo. Isto porque a chupeta deve ser utilizada de maneira racional. Caso contrário, poderá trazer prejuízos para o desenvolvimento e crescimento dos maxilares.

Por isto, caberá ao odontopediatra acompanhar este período, indicando a melhor chupeta de acordo com a faixa etária e ajudando no momento de parar. Se o hábito do pequeno for o de chupar o dedo, que pode se tornar prolongado e de difícil remoção, a modalidade também poderá orientar os pais a tratarem disto com eficiência.

Por fim, a odontopediatria também se responsabilizará por auxiliar os pais quanto à respiração nasal, que favorece o crescimento e o desenvolvimento da face e dos arcos dentários.

doutissima.com.br


7/05/2018

Quando devo começar a escovar os dentes do meu filho?


Uma dúvida recorrente de pais e mães é sobre quando se deve começar a escovar os dentes dos filhos. Na verdade, nem é preciso esperar nascerem os dentes para começar a higiene bucal de uma criança.

Especialistas recomendam que os cuidados com a higiene bucal devem iniciar a partir do nascimento do bebê e continuar até o momentos em que os pequenos passarão a fazer toda a higiene dos dentes sozinhos,

Os dentes do bebê começam a nascer, mais ou menos, a partir dos 6 meses de idade, no entanto, é importante começar a cuidar da boca do bebê logo após o seu nascimento, para evitar a cárie da mamadeira, que é mais frequente quando o bebê bebe leite à noite e a seguir vai dormir sem lavar a boca, ou quando os pais adoçam a chupeta do bebê para ele dormir.

Veja também : CÁRIE DE MAMADEIRA: CRIANÇAS NÃO DEVEM BEBER LEITE À NOITE


Desta forma, até ao nascimento dos primeiros dentes do bebê, deve-se limpar as gengivas, bochechas e língua com um pano ou gaze úmida, pelo menos duas vezes por dia, mas, especialmente, antes de colocar o bebê para dormir.

Quando iniciar o uso da pasta de dente e do fio dental é outra dúvida comum entre os pais. O creme dental fluoretado só deverá ser utilizado a partir dos dois ou três anos de idade, quando a criança souber cuspir completamente o seu excesso. Antes disso, pode-se utilizar a escova sem pasta, ou com uma pasta de dente sem flúor.


Youtube / Beraldo Odontologia - Dentista

1/27/2017

SAÚDE BUCAL : Hábitos Bucais em Crianças

Ora, os hábitos orais são definidos como comportamentos repetidos, que trazem uma sensação agradável para quem os pratica, tornando-se inconsistentes. 

Encontram-se diretamente relacionados com as funções do sistema estomatognático (sucção, deglutição, mastigação, respiração e fala). 

Hábitos-Bucais-Crianças

Contudo, importa distinguir os hábitos orais nutritivos, que estão relacionados com a obtenção do alimento e o desenvolvimento da criança (ex: sucção do seio materno ou do biberão nos primeiros meses de vida), dos não-nutritivos, que dizem respeito aos hábitos que não têm um papel nutritivo e podem assumir sérias implicações no desenvolvimento orofacial da criança, consoante a sua intensidade, frequência e duração, a predisposição individual e a idade da criança. 


 
Youtube / Dra. Laura Cotrim

11/19/2016

PERIODONTIA : Gengivite ou Doença Gengival em Crianças

A inflamação das gengivas ocorre com muita freqüência em crianças, só que maioria das vezes, os pais só percebem o problema quando o bebê se recusa a comer, demonstrando nítido desconforto bucal. 

A higiene bucal é essencial para evitarmos essa doença. A escovação e os hábitos saudáveis devem ser assimilados por toda a família. 

gengivite-criancas

A habilidade nas técnicas de prevenção vai se desenvolvendo aos poucos, tanto pelos pais como pela criança. 

 

Youtube / Clinica Amai - Dentista de Criança

10/06/2016

SAÚDE BUCAL : Mitos e verdades da saúde bucal na gestação

Atualmente sabe-se da importância do tratamento preventivo da criança a partir mesmo da gravidez, aumentando assim as chances do bebê ter uma boa saúde bucal. 

Diagnosticar e tratar doenças bucais que podem comprometer a saúde da mulher e do seu bebê são medidas fundamentais para a garantia de um pré-natal seguro. 

saúde-bucal-gestação

 
Youtube/Gravi Bela