Mostrando entradas con la etiqueta Artigos de odontologia. Mostrar todas las entradas
Mostrando entradas con la etiqueta Artigos de odontologia. Mostrar todas las entradas

4/14/2020

PREVENÇÃO: Cárie precoce em crianças pode ser evitada com a prevenção

Reabilitação

O Journal of Dental Research é uma publicação americana que divulga estudos científicos da área odontológica.

De acordo com o veículo, entre 60 e 90% das crianças e quase 100% dos adultos de todo o mundo têm cárie.

Relatou-se ainda que os problemas bucais afetam 3,9 bilhões de pessoas, onde a periodontite severa e as cáries em dentes de leite estão fortemente presentes.


Informações como essas alertam para a necessidade de uma prática importante: a prevenção!

Para incentivar essa prática e contribuir com a saúde bucal desse público, a Clínica de Odontologia da Unoeste, localizada no campus I da universidade, oferece serviços gratuitos de odontobebê (de 0 a 4 anos) e odontopediatria (4 a 14 anos).

“Realizamos atendimentos de prevenção à cárie dentária como profilaxia, aplicação tópica de flúor e selantes. Prestamos também ações curativas como restaurações, canal, exodontia e ortodontia preventiva”, explica a professora Karine Takahashi.

Veja Também: PREVENÇÃO : Como fazer a higiene bucal dos bebês

Mesmo que não possuam dentes, ela explica que é preciso uma atenção especial com os bebês. “Fornecemos orientações de dieta, higiene e aleitamento, além da aplicação de flúor e acompanhamento do desenvolvimento da dentição”.

Esse trabalho é importante, pois a cárie precoce da infância tem alta prevalência, atingindo principalmente a faixa etária entre 0 e 3 anos, que se alimentam no período noturno. “Essa cárie é altamente agressiva, influenciando no crescimento, desenvolvimento e qualidade de vida da criança”, destaca a docente.

Residente em Presidente Bernardes (SP), Luciana Restani Valentim Junqueira é mãe de Maria Julia de um ano e quatro meses. “Toda a noite eu amamento a minha filha e essa prática acarretou em problemas bucais.

Muitos acham que só o leite de mamadeira causa a cárie por causa do açúcar. Isso é uma ideia equivocada que pude constatar na prática”. Comenta que a cárie na pequena Ana Julia foi descoberta na clínica da universidade. “Estou tranquila, pois sei que aqui a minha filha recebe todos os cuidados necessários”, diz, destacando a estrutura do local.

Quem também está sendo atendida na universidade, por meio da odontopediatria, é Mirelly Vitória Piovan Ribeiro de 7 anos. “Fomos encaminhados para cá depois que passamos na UBS do bairro prudentino Brasil Novo”, conta a mãe da criança, Lucimara Piovan Santos.

Ela conta que não sabia dos serviços prestados para essa faixa etária. “Quando solteira já fiz tratamento aqui e, atualmente, meu marido Damião também é beneficiado pelo local. Estou feliz em poder trazer a minha filha para essa iniciativa, pois não teria condições financeiras de arcar com os custos”.

investimentosenoticias.com.br

4/05/2020

ORTODONTIA : Mordida cruzada anterior: o que é e quando ela deve ser corrigida

Ortodontia

A correção da deficiência de crescimento para frente do maxilar superior, usualmente, é realizada com aparelho ortopédico

A mordida cruzada anterior é uma das alterações de posicionamento dos dentes mais comuns entre crianças e adultos.

O que caracteriza essa modificação é quando a arcada dentária superior (maxila) não se encaixa corretamente com a inferior (mandíbula), projetando o queixo da pessoa para frente e gerando um aspecto facial antiestético.



Segundo a especialista e professora do Programa de Mestrado em Ortodontia da Universidade UNG/UNIVERITAS, Fernanda Angelieri, a criança com mordida cruzada anterior deverá ser examinada por um ortodontista, sendo a recomendação da idade entre 4 e 5 anos.

“O profissional verificará se esta mordida cruzada se deve à inclinação incorreta dos dentes anteriores, ou se é um problema dos ossos da face da criança”, explica.

A situação mais comum é o posicionamento do maxilar superior para trás, devido a uma deficiência de crescimento deste osso para frente. Normalmente, esta deficiência é genética e outros familiares poderão ter a mordida cruzada anterior, o que agrava ainda mais o quadro.

Veja Também: ORTODONTIA interceptativa: Correção da mordida cruzada anterior dentária

A correção do fechamento das arcadas dentárias, usualmente, é realizada com aparelhos ortopédicos. "Eles são úteis para o tratamento ortodôntico em caso de desarmonia esquelética e devem ser utilizados entre 4 e 10 anos de idade.

Quanto mais cedo for iniciado o tratamento, melhores as chances de correção óssea", reforça a especialista.

Após os 10 anos, normalmente, o tratamento ortopédico não traz bons resultados, pois a maxila cresce pouco e já se encontra unida aos outros ossos da face da criança.

A opção de tratamento depois dessa idade pode se restringir a cirurgias da mandíbula e maxila na idade adulta, com necessidade de anestesia geral e internação hospitalar.

segs.com.br



4/04/2020

Radiografia dental em crianças e segurança

Radiología

Os raios-x são usados ​​na odontologia pediátrica por vários motivos e são considerados ferramentas de diagnóstico valiosas. A radiografia é o tipo de processo de imagem médica usada na odontologia para diagnosticar possíveis males e doenças nos dentes.

Ao respeitar as medidas de precaução corretas, a radiografia dentária pediátrica possui um risco muito baixo de causar efeitos negativos para a saúde.

Há várias razões pelas quais os benefícios das radiografias dentárias são maiores e mais importantes que os riscos.



POR QUE OS RAIOS-X DENTAIS SÃO IMPORTANTES?

Os dentistas pediátricos utilizam rotineiramente a radiografia dental para fins diagnósticos e preventivos. Os raios-x são necessários para encontrar certas decomposições dentárias ou doenças que não podem ser vistas no exame visual.

As radiografias dentárias ajudam o dentista pediátrico de diversas maneiras:

°Verificar a quantidade de espaço na boca disponível para dentes permanentes que ainda não entraram em erupção;
°Determinar se os dentes primários estão sendo perdidos rápido o suficiente para que os dentes permanentes cresçam corretamente;
°Conferir se todos os dentes adultos estão presentes abaixo da linha da gengiva, se existem dentes extras, ou se há alguma falta antes dos dentes começarem a nascer;
°Prever aproximadamente quando os dentes do siso irão nascer e se serão impactados ou incapazes de aparecer devido a problemas como a inibição da estrutura óssea ou outros dentes;
°Ajudar os dentistas pediátricos a poderem especificar tratamentos odontológicos antecipados que possam ser necessários para uma criança.

Veja Também: Técnicas radiográficas para pacientes pediátricos com necessidades especiais na Odontologia

QUANTAS VEZES AS CRIANÇAS PRECISAM FAZER RAIOS-X DENTAIS?

As radiografias dentais não são tomadas em cada check-up. Isso dependerá do caso e das circunstâncias individuais de cada criança. O dentista pediátrico irá prescrever radiografias dentárias conforme necessário para cada criança.

Por razões de segurança, no entanto, a radiografia digital é usada minimamente para obter uma grande quantidade de informações diagnósticas e preventivas durante os anos de crescimento e desenvolvimento.

Crianças com um risco mais elevado do que o normal para a cárie dental podem precisar de raios-x com mais frequência, conforme sugerido pelo dentista pediátrico, para acompanhar as variações na condição e saúde dos dentes. Para crianças consideradas com baixo a normal risco de cárie dentária, o dentista pode recomendar um conjunto de raios-x dentários a serem tomados a cada um ou dois anos.

QUÃO SEGURA É A RADIOGRAFIA DENTAL PARA CRIANÇAS?

As radiografias dentárias são consideradas muito seguras e de baixo risco para crianças. A radiografia digital, a forma mais nova e segura de radiografia, é o único método pelo qual se registram imagens da boca de uma criança. A radiografia digital gera apenas a quantidade mínima de radiação necessária para gravar uma imagem.

Além disso, o dentista pediátrico empregará várias medidas de segurança para garantir que a criança não sofra nenhum dano excessivo aos tecidos ou células corporais devido ao processo de raio-x. Um colete / avental de chumbo será colocado sobre a criança para evitar que o corpo se submeta a qualquer exposição estranha.

Os avanços tecnológicos permitem que o dentista separe apenas certas seções da boca para serem radiografadas individualmente, enquanto o resto da boca e cabeça ficam protegidos da exposição. O dentista usará proteções especiais para cobrir as partes do rosto que não precisam de raio-x.

Se você tiver dúvidas ou preocupações sobre a radiografia digital e a segurança de raios-x para o seu filho, certifique-se de pedir ao dentista pediátrico que explique os processos de raios-x, procedimentos, medidas de precaução e uso de máquinas.

tepe.com.br
RAIO-X EM CRIANÇAS E SEGURANÇA



3/27/2020

HIGIENE ORAL: Como cuidar da saúde bucal do bebê

Saúde Bucal

É durante o período do nascimento até a infância a fase mais importante do desenvolvimento bucal de uma pessoa.

Se os dentes forem bem cuidados durante essa fase da vida, a chance desse paciente sofrer de algum problema bucal é muito pequena e o índice de saúde bucal da criança será excelente.

A atuação precoce na cavidade bucal do recém-nascido é fundamental para o bom desenvolvimento de hábitos saudáveis.

Quando eu devo me preocupar com a saúde bucal do meu bebê?


A prevenção começa com o aleitamento materno, pois além das vantagens sob o ponto de vista:

Emocional,
Imunológico,
Nutricional,

Veja Também: ODONTOPEDIATRIA : O que é Ulectomia?

Entre outros em menores porcentagens

Ele também é importante sob o ponto de vista odontológico, uma vez que o bebê nasce com a mandíbula para trás (retrógnata) e o ato de amamentar irá proporcionar o avanço mandibular e, consequentemente, o correto desenvolvimento da arcada e dos dentes de leite. A amamentação permite que o bebê respire pelo nariz evitando a má oclusão e melhorando a saúde bucal do bebê.

A criança amamentada no peito sacia a sua necessidade de sucção, tendo menor chance de desenvolver hábitos deletérios( chupar dedo, pipo,…) que posteriormente, prejudicam muito a saúde bucal do bebê.

E quando meu bebê ficar maiorzinho?

Até 6 meses de idade (existe uma variação significativa no que diz respeito a essa data dependendo da linha de raciocínio de cada pessoa) a amamentação deve ser exclusiva no peito pois o leite materno é suficiente para suprir todas as necessidades físicas e nutritivas do bebê. Após essa idade, o bebê experimenta alimentos pastosos e aprende a mastigar.

O ideal é passar do seio para copos modificados, a mamadeira deve ser evitada a todo custo, devido aos problemas de má oclusão e às caries de mamadeiras que prejudicam bastante a saúde bucal do bebê.

Quando deve ser a primeira consulta do bebê?

Antes mesmo que apareça os primeiros dentinhos, a mamãe deve levar o bebê ao odontopediatra ( dentista, especialista em cuidados com crianças) para que o mesmo possa verificar se a mãe aplicou as atitudes aprendidas no pré-natal odontológico e reforçar as orientações sobre a amamentação. Na segunda consulta, aos seis meses ou quando aparecer o primeiro dente de leite já são iniciadas as limpezas e aplicações de flúor.

Como agir se a criança for maior?

Quando a criança vai ficando maior, já cresce sem o famoso “medo do dentista” e com isso o profissional pode intensificar os aconselhamentos sobre:

Como escovar os dentes do seu filho (técnica de escovação, tipo de pasta de dente, posição, como fazer se ele não deixar, etc), Hábitos de dieta saudáveis (como fazer para seu filho poder comer de tudo mas sem ter cárie), O uso do flúor em bebês, Mais importante de tudo, a familiarização da criança com o ambiente e a equipe odontológica (condicionamento infantil).

Com o aparecimento dos primeiros dentes, a higiene bucal deve ser realizada com escova própria para bebê e sem pasta (ou com pasta sem flúor), pois até 3 anos de idade a criança não consegue cuspir a pasta e esta, se conter flúor, pode provocar manchas irreversíveis nos dentes permanentes que estão em formação.

doutissima.com.br

HIGIENE ORAL: Crianças podem aprender a usar o fio dental desde cedo

Prevenção

O fio dental deve ser introduzido na rotina da criança assim que os dentes começarem a nascer.

“Primeiramente a limpeza com o fio dental pode ser feita uma vez ao dia, obviamente realizada pelos pais.

Isso fará com que a criança sempre o encare como algo natural, assim como tomar banho e pentear os cabelos”, afirma Renata Centenaro, cirurgiã-dentista idealizadora do projeto infantil Turminha do Sorriso que leva saúde bucal às escolas.

Para a especialista, o interessante é deixar o interesse da criança vir com naturalidade. “Com o passar do tempo ela vai ter curiosidade e pedirá um pedaço do fio dental na mão”.


O exemplo também é super importante. A criança acaba por ser motivada ao ver seus pais usando o fio dental. “É a mesma coisa que tentar forçar o filho a comer uma fruta, se a criança só vê os pais comendo doces.

Exemplo e rotina farão o hábito se estabelecer naturalmente”, diz a especialista.

Veja Também: ODONTOPEDIATRIA : O que é Ulectomia?

Supervisão é fundamental

Apesar de as crianças serem capazes de aprender a usar o fio dental bem pequenas, antes dos seis anos de idade, essa prática não pode ser feita sem a supervisão de um adulto.

“É importante que o adulto faça a higiene da criança e ao mesmo tempo estimule o hábito.

Assim, ela vai se sentir motivada a treinar a coordenação motora para conseguir passar corretamente e, com a persistência, passará melhor que as crianças da mesma idade que não treinam diariamente”, afirma Renata.

É importante ressaltar que é normal que antes dos seis anos de idade a criança ainda não passe o fio dental e nem escove os dentes com perfeição. “Nessa fase, a higiene adequada é tarefa dos pais”, diz.

Aprender brincando

Para que o aprendizado seja ainda mais fácil, Renata acredita que tentar tornar o momento da higiene bucal prazeroso é o melhor caminho. Portanto canções e brincadeira são super bem vindos nessa hora.

Além disso, nessa idade as crianças são muito receptivas ao que é “certo” por terem necessidade de aceitação e aprovação. “Elas querem ser elogiadas e aceitas. Diga-lhe que algo faz bem e que é certo de forma agradável e prazerosa e ela vai se esmerar em fazer.

E é possível explicar-lhe numa linguagem adequada ao seu entendimento que passar fio dental vai limpar o espaço entre os dentes, onde a escova não entra, e ela vai entender perfeitamente”, diz a dentista.

saude.terra.com.br

3/10/2020

SAÚDE BUCAL: Bebês podem nascer com dente; saiba o que fazer

Saúde Bucal

Onascimento de um dentinho é um processo fisiológico que se inicia por volta dos seis meses de vida. Porém, alguns bebês podem já nascer com alguns dentes.

Nestes casos, é preciso o acompanhamento de um odontopediatrapara que os hábitos e a saúde bucal da criança não sejam prejudicados por causa disso.

“Quando o bebê já nasce com alguns dentes eles são chamados de dentes natais. Quando a erupção se dá até o trigésimo dia de vida, são chamados de neonatais. A causa desse nascimento precoce ainda não está muito bem definida, mas pode estar relacionada com hereditariedade”, diz a odontopediatra Fernanda Raven.


Extrair ou não extrair, eis a questão

Quando a criança apresenta um dente natal, o especialista deve fazer uma avaliação para definir qual o melhor tratamento para esse caso. “Tudo dependerá do grau de mobilidade deste dente.

Se ele apresentar muita mobilidade,será indicada a extração para evitar o risco de o bebêo aspirar ou engolir. Se apresentar pouca, o dentista poderá optar por manter o dente e lixar a borda para evitar trauma na língua”, diz Fernanda.

Veja Também: Pigmentações extrínsecas negras do esmalte em ODONTOPEDIATRIA

Esse lixamento das bordas também será fundamental para que o bebê não tenha problemas na hora da amamentação. “O dente natal pode ferir a aréola e mamilo da mãe, atrapalhando ou até impedindo a amamentação da criança”, afirma a especialista.

Porém, se esse dente for um dente extra (que não faz parte da dentição normal da criança), poderá ser extraído sem problema (um exame radiográfico mostrará esse quadro com clareza). Assim, quando a criança completar seis meses de idade, seus dentes de leite nascerão completos e normais.

Higienização normal

Os cuidados com a higiene desse dente “apressadinho” devem ser os mesmo que pais e dentistas teriam com os primeiros dentes nascidos na época certa, ou seja, o uso de uma gaze ou fralda umedecida com água limpa ou uma dedeira de silicone podem fazer esse papel de forma bem eficiente.

saude.terra.com.br

2/29/2020

Mantenedores de Espaço - Classificação. Parte 1

Mantenedores de Espaço

REMOVÍVEIS FUNCIONAIS

Indicação

• crianças com perdas de um ou mais dentes na região anterior e/ou posterior;
• pacientes colaboradores;
• prevenção de hábitos bucais deletérios.

Vantagens

• aparelho de fácil construção;
• facilita uma correta higienização;
• restabelece a dicção, fonação, estética e mastigação;
• mantém ou restaura a dimensão vertical;
• mantém o espaço para acomodação normal da língua, evitando interposição.


Desvantagens

• depende da colaboração do paciente e dos pais.

Mesmo concordando com a maioria dos autores (ALMEIDA et al., 1999; CORREA, 1996; GRABER, 1972; MOYERS, 1991; SILVA, 1999) a respeito de que a perda precoce de dentes decíduos na região ântero-superior não acarreta perda de espaço, somos favoráveis à colocação de um mantenedor de espaço do tipo removível funcional com dentes de acrílico para evitar hábitos de interposição de língua durante a deglutição e para favorecer a dicção e a estética da criança, devolvendo o bem-estar psicológico.

MANTENEDORES DE ESPAÇO FIXO FUNCIONAIS (REGIÃO ANTERIOR) E NÃO-FUNCIONAIS (REGIÃO POSTERIOR)

Indicação

• crianças com perdas de um ou mais dentes na região anterior e/ou posterior;
• pacientes não colaboradores;

Vantagens

• não depende da colaboração do paciente;
• fácil construção e higienização.

Veja Também: Quem são os mantenedores de espaço?

Desvantagens

• não evita a extrusão do dente antagonista;
• não restabelece a mastigação (região posterior).

COROA ALÇA: Este tipo de mantenedor está indicado para os casos com perda de um único dente e cujo dente de apoio apresenta-se com grande destruição da coroa.

BANDA ALÇA: É um mantenedor também indicado para perda de um único dente, porém quando o dente de apoio apresentase íntegro.

ARCO LINGUAL DE NANCE: É indicado para perdas dentárias múltiplas, uni ou bilaterais e para perda de caninos decíduos. Quando um canino decíduo é perdido precocemente por reabsorção provocada pela irrupção do incisivo lateral permanente, os incisivos movimentam-se para o espaço, provocando um desvio da linha média.

Nesses casos, é recomendada a extração do canino decíduo do lado oposto, e o mantenedor de espaço arco lingual de Nance deve ser instalado, impedindo a inclinação para lingual dos incisivos inferiores pela pressão da musculatura labial com redução do comprimento do arco dentário inferior.

ARCO LINGUAL DE NANCE FUNCIONAL: Este mantenedor devolve a função mastigatória e a estética, pois possui dentes de estoque. É indicado para perda de um ou dois dentes anteriores em pacientes não colaboradores.

BIHÉLICE MODIFICADO: Este tipo de mantenedor desempenha dupla função. Além de manter espaço com dentes de estoque, promove alterações transversais no arco dentário superior.

É indicado para perda de um ou dois dentes anteriores e para pacientes com mordida cruzada posterior não colaboradores com aparelhos removíveis.

° dtscience.com
° Mantenedores de Espaço e sua Aplicação Clínica
° Renato Rodrigues de ALMEIDA / Renata Rodrigues de ALMEIDA-PEDRIN / Marcio Rodrigues de ALMEIDA