ADS

Dentinogénese imperfeita: breve revisão

Medicina Oral

A dentinogénese é um processo altamente controlado que resulta na transformação paulatina de um tecido não mineralizado numa matriz mineralizada.

Interferências na fase de mineralização podem acarretar alterações dentinárias que, dependendo do grau de severidade, têm impacto na dentição decídua ou permanente, do seu portador.

A Dentinogénese Imperfeita é uma desordem hereditária com carácter autossómico dominante. Entender as bases moleculares que levam ao seu estabelecimento, assim como os seus sinais clínicos e radiográficos, é essencial para uma adequada abordagem do paciente afectado.


Assim, esta revisão de literatura tem como objectivo principal abordar os aspectos genéticos que sublinham a sua ocorrência, como também, evidenciar as mais prevalentes descobertas clínicas e radiográficas dos seus portadores.

No entanto, estudos prospectivos são necessários para que sejam elucidadas todas as peculiaridades desta dramática condição dentária.

Veja Também: Higiene oronasal em bebê com fissura labio palatina (antes da cirurgia)

Introdução : O desenvolvimento de um elemento dentário é resultado de uma multiplicidade de sinais moleculares que envolve não unicamente o ectoderma oral, como também, o ectomesênquima subjacente ao mesmo.

Tais interações levam a eventos biológicos importantes, como a migração e proliferação celulares, histo e morfodiferenciação, e, por fim aposição mineral.

LEIA ARTIGO COMPLETO AQUI


° administracao.spemd.pt
° Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial
° Tatiana Cardoso / Rhyna Cunhab / Inês Lopes Cardoso
° Imagen : Quality Practice Tandheelkunde

No hay comentarios