ADS

Arco lingual como mantenedor de espaço na perda precoce de dentes decíduos

Mantenedores de espaço

A odontologia está intensificando a atuação de forma preventiva e interceptativa nas doenças bucais.

Nesse contexto, a ortodontia também tem atuado cada vez mais na prevenção e interceptação das más oclusões dentais. A manutenção do comprimento da arcada dental para a erupção dos dentes permanentes constitui uma atividade de grande importância na prevenção das más oclusões quando ocorre a perda precoce de dentes decíduos.

Os dentes decíduos têm como função manter o espaço tanto mesiodistal quanto cérvico-oclusal para o correto posicionamento dos dentes permanentes.


Quando perdidos precocemente, pode gerar a migração dos adjacentes para a região da perda, levando ao fechamento ou redução do espaço destinado à irrupção do dente permanente sucessor.

Também geram o encurtamento do arco, a extrusão do dente antagonista, inclinações de dentes adjacentes, favorecendo ao futuro apinhamento dental, impacções dos dentes permanentes sucessores, aumento do trespasse vertical, redução da capacidade mastigatória, distúrbios na fonética, instalação de hábitos bucais viciosos e problemas de ordem psicológica.

Veja Também: Mantenedores de Espaço e sua Aplicação Clínica

Dentre as causas de perdas precoces de dentes decíduos estão cáries extensas, problemas endodônticos, rizólise do dente decíduo causada pela erupção do dente permanente e traumatismos.

Antes de indicar a manutenção de espaço, deve-se avaliar o tempo decorrido da perda dental, o espaço presente, a presença do germe do dente permanente, a quantidade de osso cobrindo o den te permanente e o grau de formação radicular do germe do dente permanente, que, se estiver antes do estágio seis de Nolla, o qual corresponde à época em que os dentes iniciam o movimento eruptivo, deve ter seu espaço mantido.

LEIA ARTIGO COMPLETO AQUI


revodonto.bvsalud.org
Fernanda do Santos Gatti / Marcia Angelica Peter Maahs / Telmo Bandeira Berthold

No hay comentarios