4/20/2019

Periodontite em gestantes dobraria o risco de parto prematuro

Periodontite

Uma revisão de estudos das universidades Pedagógica e Tecnológica da Colômbia e Miguel Hernández de Elche, na Espanha, revelou que gestantes com periodontite (infecção que destrói a gengiva e até os ossos que dão suporte aos dentes) correm um risco duas vezes maior de passarem por um parto prematuro.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores compilaram dados de 20 artigos científicos sobre o tema. No total, a análise abrangeu 10 215 mulheres de diversos lugares no mundo.

Resultado: em 60% dos levantamentos, essa associação entre infecção periodontal e aumento da possibilidade de parto prematuro (ocorrido com menos de 37 semanas de gravidez) foi confirmada. Agora, o que a explicaria?


Para responder a essa pergunta, precisamos entender como a periodontite surge. Segundo o odontopediatra Gabriel Politano, do Ateliê Oral Kids, em São Paulo, existem bactérias que permanecem o dia inteiro na saliva.

Quando não há uma higiene bucal adequada, elas grudam nos dentes, formando a placa bacteriana (ou biofilme, como dizem os experts).

Veja Também: Reabilitação de dentes decíduos anteriores com o uso de pinos de fibra de vidro

“O organismo, então, passa a se defender da infecção. Dessa maneira, surge uma inflamação: a gengivite. Se não for tratada, ela evolui para a periodontite”, explica o dentista, que também é diretor do Departamento de Odontologia para Gestantes e Neonatos da Associação Brasileira de Odontopediatria (Aboped).

Os sintomas dessa encrenca costumam ser brandos: pequenos sangramentos na hora da escovação, mau hálito e inchaço gengival. “As pessoas acabam negligenciando por não causar dor, como uma cárie que atinge o canal do dente”, lamenta Gabriel Politano.

LEIA ARTIGO COMPLETO AQUI


saude.abril.com.br
Por Maria Tereza Santos


Tambien te puede gustar