ADS

Pigmentações extrínsecas negras do esmalte em ODONTOPEDIATRIA

Odontopediatria

As pigmentações negras do esmalte se devem à coloração extrínseca e estão associadas com problemas estéticos.

O objetivo é apresentar dois casos clínicos de crianças com pigmentações extrínsecas negras do esmalte dentário, com ênfase no tipo de tratamento e no acompanhamento.

Trata-se de um paciente de 5 anos de idade que utilizava constantemente sulfato ferroso para tratamento de anemia por deficiência de ferro; e outro paciente de 12 anos de idade com diabetes mellitus tipo 1 e dermatomiosite.


No primeiro caso observou-se a presença de pigmentações negras extrínsecas nos dentes decíduos e nos primeiros molares permanentes, principalmente nas superfícies lingual e vestibular na região cervical e terço médio, além de lesões de cárie incipientes nas superfícies oclusais dos molares e manchas brancas ativas nos primeiros molares permanentes.

Veja Também: SAÚDE BUCAL: Bebês podem nascer com dente; saiba o que fazer

No segundo caso, havia pigmentações negras extrínsecas na região cervical das superfícies lisas dos dentes decíduos e permanentes.

No primeiro caso, foi realizado tratamento para remoção das pigmentações negras e polimento dos dentes por meio de profilaxia profissional com creme dental abrasivo que contém pedra pomes microgranulada.

LEIA ARTIGO COMPLETO AQUI


Fuente / Autores : Revista Cubana de Estomatología Camila Menezes Costa Castelo Branco, Mayra Manoella Perez Reis dos Santos, Lucas Formiga Araújo, Renata de Oliveira Guaré, Maria Teresa Botti Rodrigues dos Santos, Michele Baffi Diniz